21.1.16

Sobre ser adulto

Foto: reprodução
Certo dia encontrei uma dessas crianças que são bem avançadas para o tamanho que tem, que possuem aquela sinceridade latente natural da idade e que são altamente questionadoras. No meio de uma conversa nossa ela de repente corta com espontaneidade um assunto qualquer e diz: ‘tio deve ser legal ser adulto fazer tudo o que que quer, dormir tarde, comer besteira no jantar e ficar horas no telefone sem ninguém dizendo que já chega mas o que não deve ser bom é não poder ser mais criança, não poder brincar’. Confesso que demorei um tempo para processar aquela maturidade toda daquele pinguinho de gente e me preparar para uma reposta.

Talvez só as crianças não saibam o quanto muito do que elas tem faz uma falta enorme no mundo dos adultos e o quanto alguns tios e tias precisam urgentemente reaprender com elas princípios básicos que perderam ao longo da vida. Reaprender, por exemplo, a amar alguém pelo que é e não pelo que tem, a usar coisas e não pessoas, aceitar as diferenças mesmo sem entender muito, viver de verdades e não de mentiras, perceber e se alegrar com as coisas mais simples da vida e ser espontâneo. 

Você cresce as piadas tornam-se cansativas, as pessoas irritantes, o tempo se reduz, problemas e contas aumentam, horários e prazos diminuem, responsabilidades acompanham seu crescimento, suas roupas ficam consequentemente maiores, a idade também e no meio desse burburinho todo finalmente você percebe que chegou na tão sonhada independência (maioridade, grito de liberdade ou como queiram chamar) que para você era um mundo de pessoas invencíveis e super poderosas que tinham tudo o que queriam. Aí você expande seu entendimento, e enxerga que não era bem assim.   

Amadurecer talvez seja descobrir certos sofrimentos e sofrer algumas perdas mas isso não significa se entupir de caretices e mascarar a vida ou não se importar com a dor do outro. Amadurecer não quer dizer apagar sua essência e sim mantê-la viva para o seu próprio bem. Você cresce e ironicamente se sente menor. Todo mundo cresce e a maturidade custa caro, que grande paradoxo imaginar que o preço de ser livre é sacrificar a liberdade. Te empurram para um voo, enquanto seguram suas asas, te jogam em cena enquanto cordinhas invisíveis manipulam seu comportamento como uma boa marionete. Amadureça, sem se precipitar em crescer antes da hora. Curta sua vida e não se iluda, crescer tem sim suas desvantagens.

Enfim, voltando para a história que estava contando no primeiro parágrafo desse texto, posso dizer que olhei fixamente nos olhos meio reticentes daquela criança e disse: esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com a comida, não jogar vídeo game, não chorar, não ser imaturo, não brigar com o coleguinha, não falar bobagem, não rir do outro, não tomar banho de chuva, não andar descalço é tudo conto da carochinha que os adultos contam para parecerem mais sérios e mais complicados. Também não pense que ser adulto é um mar de rosas porque nem sempre fazemos o que queremos e uma hora a conta chega. Para quem dorme tarde tem que acordar cedo, quem só come besteira adoece mais rápido e o corpo responde de forma negativa, as vezes a gente fica no telefone até altas horas só resolvendo problemas de trabalho e sim a maior tristeza de ser adulto é não poder ser mais criança. 

Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Alexandre ď Oliveira26 de junho de 2017 04:01

    Suas crónicas me ajudam muito. A cada texto que leio interajo escrevendo ás minhas, e nisto tenho apreço por você e pelo seu trabalho. E somos colegas de formação.

    ResponderExcluir


Layout exclusivo do blog - Pensamentos Soltos | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©