6.12.13

Mandela, um exemplo a ser seguido




O dia 05 de dezembro de 2013 será uma daquelas datas que ficará marcada nos livros de história, em que nossos netos serão surpreendidos não porque estourou mais uma revolução no mundo ou porque pessoas foram salvas de alguma catástrofe mas porque nessa data perdemos uma das personalidades mais significativas de todos os tempos, Nelson Mandela. 

Considerado um dos maiores heróis da luta dos negros pela igualdade de direitos e um dos principais responsáveis pelo fim do regime do apartheid, Mandela, rebelou-se contra mentes disformes num mundo onde se paga fortunas para que todos sejam igualmente perfeitos. Como ousou Mandela vencer pelo poder das ideias no mundo da aparência? Como pôde ele ser diferente numa época onde pensar igual era garantia de segurança? 

Ele poderia ter ficado em seu canto, poderia ter aceitado tudo passivamente sem dizer uma palavra e   ser apenas mais um a vida toda, mas decidiu reinventar seu destino e o de sua raça, reinventar o mundo e seus valores porque sabia que valeria a pena. Em meio a tantos obstáculos soube alicerçar princípios de igualdade. Não tem como falar de quebra de preconceitos sem citá-lo, em liberdade sem lembrá-lo. 

Um homem que venceu cárceres, torturadores, opressores, preconceitos e que além de tudo teve sabedoria o suficiente para deixar mudanças territoriais e legados de esperança. Um ser humano que revolucionou sua época e que estará marcado para sempre nas páginas da história como um exemplo a ser seguido. 

Existem homens que passam pelo mundo e provam que não existiram e outros que eternizam sua existência. Mais que saudade, Mandela deixou um exemplo de vida e um modelo para quem quer seguir alguém que sabia o que falava e mostrava como fazia. Obrigado Mandela por saber existir e com isso ter ajudado a mudar o mundo! Vá em paz.

16.11.13

Carta de boas-vindas



Murilo, você nasceu na noite de um começo de semana comum gerando em sua família alegria, expectativa e apreensão pela demora. Vindo de Deus, contrariando todos os diagnósticos de derrota e inaugurando um novo tempo na vida dos que te amam e dos que ainda esperam por ter conhecer você chegou trazendo felicidade e um novo amor.

Antes de qualquer coisa é importante dizer que você foi gerado por pessoas capazes de te darem muito amor e ensinarem princípios fundamentais para sobreviver aqui fora. Um pai matemático e calculista que te ensinará muito sobre os números e sobre a vida, uma mãe psicóloga e dedicada, que te explicará sobre os sonhos e do que as mulheres gostam. Eles se prepararam nove meses especialmente pra te conhecer de perto e entender suas particularidades, procure retribuir ao máximo toda essa dedicação.

Quanto ao resto da família, prefiro que você descubra sozinho a loucura que são as reuniões e confraternizações em grupo (risos), mas uma coisa posso garantir seremos cúmplices de uma longa jornada onde teremos muitas alegrias.

Essa saudade que provavelmente você já deve estar sentindo do silêncio uterino é normal e te surpreenderá por alguns momentos na vida mas você acaba acostumando e entendendo que aqui fora é tudo misturado e barulhento mesmo. 

Enfim, você é o novo participante do mundo busque sua forma de ser feliz e não desperdice as chances. Seja forte, corajoso e grato porque nascer é um privilégio.  Antes de mais nada seja bem vindo!

5.9.13

O que vi da rua





Eu vi uma mulher ferida numa prisão de insucessos e de misérias. Senti seu mau cheiro, toquei nos seus medos e na sua dor. Percebi em sua alma tons de preto, cinza e pouca vontade de abrigar novas cores.

Uma mulher que prefere não falar do seu passado mas que o conta inconscientemente em um olhar aberto, perdido e vulnerável, que procura desesperadamente alguém que lhe acolha. Eu li nos seus olhos uma história de sofrimento e cativeiro. Decifrei em suas palavras que ela já havia desistido de si mesma há muito tempo.

Nascida num lar distante de qualquer comodidade sentia fome de comida, de sonhos, de afeto. Pode sentir desde cedo o peso do fardo da falta de perspectiva, acabou se conformando com seu enredo parco e assumiu seu papel de vítima. 

Em todo lugar por mais empoeirado, sujo, trágico e desesperançado que seja, há sempre alguém ainda mais empoeirado, sujo, cinzento e desesperançado.

As magoas do seu passado paralisaram seus sonhos, deformaram sua visão. Essa mulher que se construiu querendo novas chances se aprisionou em seu papel de vítima e dele não abre mão. Culpa o mundo, as pessoas, o destino mas não procura meios concretos para sair daquela prisão.

Aquela mulher sem chances não passa de uma vítima de si mesma, não entende que a diferença entre as histórias de vida está na iniciativa de mudar, de buscar novos meios para novos rumos. Enquanto a vida não muda ela continua a se machucar.

31.1.13

Viva la Vida




Viver ultrapassa entendimentos, gera saudades, expectativas. Inspira, filtra, doe, sangra, contagia com sentimentos e sensações e deixa pegadas sobre as trilhas do tempo, que não espera ninguém passar. Viver é perigoso, incerto, duvidoso e raro pois a maioria das pessoas existem, mas para os que se arriscam vale a pena apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Viver custa lágrimas, alegrias, recordações, emoções, sorrisos e faz o seu corpo descobrir o mundo. A única certeza que se tem é de que nada é certo e que surgirão história pra contar, pessoas pra abraçar, cantar e sonhar junto. As tristezas do passado servirão de riso, os aniversários serão marcos de novas fases que virão, as inquietações e questionamentos serão substancias necessárias para descobrir o novo a sua frente. Se viver custa caro pague pra ver.




Layout exclusivo do blog - Pensamentos Soltos | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©