20.8.12

Do que sou composto




Fui fabricado sem manual de instruções e as vezes dou defeito porque vivo em um mundo defeituoso. Na minha fórmula contém medos e hesitações mas existem também doses de obstinação, alegrias e olhares que dizem. Sou esse infinito todo de “pensamentos soltos traduzidos em palavras pra que você possa entender o que eu também não entendo”.

Sou feito de sentimentos diversos, amanhãs fantasiosos, sonhos maiores que eu, de caminhos incertos e pegadas na areia. Me construíram com oscilações, variações de humor e vontade de sumir. Sou minhas brigas inconsequentes, meus rompantes insanos, minha docilidade branda, meus poemas, versos e rimas. Sou cada paragrafo que leio e me identifico, as músicas que me traduzem, os lugares que ainda não conheci e os pés cansados que insistem em caminhar. 

Já me refugiei em lembranças, renovei conceitos, superei crises, reclamei do que não devia, gerei lágrimas e sorrisos com palavras simples, aliás, palavras são ótimos antidepressivos, acreditem. O que fica de tudo isso é sempre bom e duradouro. 

Sou minhas abstinências, erros, acertos, atribuições, ações e reações. Sou uma complexidade ambulante que não necessariamente precisa ser entendida mas que de alguma forma precisa questionar  e insistir no que é novo. 



12.8.12

Agradecimento de filho


Obrigado pelos genes compatíveis, pelas características excêntricas que eu só podia ter herdado de você, por ter ficado com os olhos questionadores, o bom gosto e o ar sonhador que te lembram tua juventude.
Agradeço pelas noites mal dormidas, por participar da criação de tantos filhos e não abandonar o barco nem a companheira. Pelos anos de dedicação e trabalho priorizando sempre nossa educação. Obrigado por ter construído uma família feliz, apesar de tudo, e abastecida com teus ensinamentos austeros, cordiais e condescendentes. Obrigado por ter escolhido a mãe certa para uma grande família e principalmente por fazê-la feliz por tanto tempo. 
Obrigado por ainda me ensinar a dar nó em gravata, por ainda me alertar sobre  a vida e os perigos do mundo, por ainda lutar pelo que acredita e me influenciar para isso. Obrigado pelas lições diárias de honestidade e caráter.
Obrigado por nos ensinar Deus e a verdade Dele, pelos preceitos e valores transmitidos, pela conduta correta e por sempre frisar que é possível vencer sem tomar o que é dos outros nem pisar em ninguém. Obrigado pelas maluquices , pelo ar engraçado e pela sinceridade com que trata o mundo.
Enfim, obrigado por todos os obrigados contidos nesse texto, porque em uma geração tão corrompida e onde o parricídio se tornou prática quase comum, eu estou aqui te agradecendo pela criação a moda antiga que fez toda diferença hoje em dia. Antes de mais nada Feliz Dia Dos Pais!

9.8.12

Divagações


Não quero a contagem das horas me lembrando meus atrasos, minhas obrigações e afazeres. Não busco a pressa, a mesmice, nem a monotonia do cotidiano que me aprisiona. Não quero mais um dia, quero exceção, quero pelo menos hoje, minto pelo menos sempre, o inédito da vida. Quero por em prática as coisas loucas, boas, saudáveis e inconsequentes que aprendi nos discos filmes e livros. Quero certeza nas decisões, a compreensão da essência da vida, dos meus dias, de mim mesmo. Procuro um olhar que veja o meu perdido e o acolha. Quero sair pelo incerto, pelo que ainda não foi contaminado pelos padrões do "mundinho perfeito" lá fora. Busco além desse parágrafo, além da linha do horizontes e do que meus olhos podem alcançar. Quero tanto que nem sei explicar. Existem coisas que não podem nem precisam ser ditas, existem pessoas que esperam por me conhecer. Preciso sair sem rumo, deixar a rua me levar, só hoje quero dormir sem palavras.

Layout exclusivo do blog - Pensamentos Soltos | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©